Medicamentos Biológicos - O que sao

 

 

 

 

Medicamentos Biológicos (Biofarmacos) - O que são?

 

Os medicamentos biológicos ou biofármacos são substâncias terapêuticas homólogas ou que interagem com as proteínas humanas. Sua estrutura molecular é extremamente complexa e, além disso, o componente ativo é heterogêneo. Estas moléculas são difíceis de caracterizar e de replicar.

 

Os biofármacos são elaborados utilizando matéria-prima procedente de duas origens: 

• 1. Componente ativo de origem biológica: extraído de microorganismos, órgãos e tecidos de origem vegetal ou animal, células ou fluidos de origem humana ou animal.

• 2. Componente ativo de origem biotecnológica: em geral, são proteínas obtidas a partir de células modificadas geneticamente para produzi-las.

 

Os biofármacos mais importantes são:

• Fatores sangüíneos como o Fator VIII e IX: utilizados como fator de coagulação para a hemofilia tipo A e B. 

• Agentes tromboembolíticos ativadores dos tecidos plasminogênicos: utilizados para condições associadas à trombose e embolias. 

• Hormônios: como a insulina (utilizada para a diabete), o hormônio do crescimento e as gonadotropinas.

• Fatores de crescimento hematopoiéticos como a eritropoietina: são fatores relacionados com a produção de glóbulos vermelhos utilizados no tratamento das anemias causadas por falha renal crônica ou pela quimioterapia para o câncer. 

• Interferones -α, -β, -γ: são proteínas naturais produzidas pelas células do sistema imunológico em resposta à ameaça de agentes como vírus, bactérias, parasitas e tumores. São utilizados para tratar condições como a esclerose múltipla, câncer sistêmico, hepatite C e leucemia.

• Produtos baseados em interleukina: utilizados para tratar a doença de Crohn e a colite ulcerosa.

• Vacinas: para a prevenção de várias doenças. 

• Anticorpos monoclonais: são anticorpos idênticos porque são produzidos por um tipo específico de células imunes, todos a partir de uma célula mãe única (monoclonal). São utilizados para tratar uma ampla variedade de doenças. 

• Outros produtos: como enzimas terapêuticas e fatores de necrose de tumores, utilizados para as doenças autoimunes como a artrite reumatóide, a doença de Crohn e muitos outros. 

 

A complexidade molecular é uma das diferenças entre os biofármacos e os medicamentos químicos convencionais.

As moléculas de um biofármaco são muito mais pesadas, têm uma estrutura espacial mais complexa e são mais diversas que as moléculas pequenas que compõem os medicamentos tradicionais. Uma molécula de um biofármaco é uma proteína conformada por uma cadeia de centenas de aminoácidos com uma estrutura tridimensional que afetará sua atividade.

 

 

A imagem acima apresenta um claro exemplo da diferença na complexidade molecular de um biofármaco, nesse caso a Eritropoietina, e a de um medicamento químico, como o Diclofenaco.

 

 

 

 Também como ilustração, a tabela acima demonstra as diferenças nos pesos moleculares entre medicamentos químicos e biológicos.